7 de setembro de 2010

Pequeno dicionário amoroso

"Ansiedade – Quando faltam cinco minutos sempre para o que quer que seja.
Balé – Quando corpo é lápis, espaço é papel e música é motivo.
Beijo – Um carimbo que serve para mostrar que a gente gosta daquilo.
Calma – Quando as agonias dormem profundamente dentro da gente.
Certeza – Quando a idéia cansa de procurar e pára.
Dor – É tudo aquilo que dá vontade de dizer “ai” lá de dentro do peito, seja topada, perda, cascudo ou abandono.
Engano – Quando era para ser, mas não era.
Estímulo – Um cutucão na vontade.
Fé – É toda certeza que dispensa provas.
Franqueza – É quando as verdades querem sair e saem mesmo e pronto.
Harmonia – Quando os olhos, os ouvidos, a boca e o coração sorriem ao mesmo tempo.
Ingenuidade – É quando o saber ainda está nu.
Indecisão – É quando você sabe muito bem o que quer, mas acha que deveria querer outra coisa.
Mãe – É aquilo que dá vontade de gritar quando a gente não sabe o que fazer.
Ousadia – É quando o coração diz para a coragem “vá” e a coragem vai mesmo."

Adriana Falcão, roubado (e resumido) da Bons Fluidos.

Um comentário:

Pense bem, pense elevado, ancore a alegria no seu coração!

 
BlogBlogs.Com.Br